Instituído em 1993 pela ABRH-Nacional, o Prêmio Ser Humano Oswaldo Checchia se consolidou como instrumento de valorização das melhores iniciativas dedicadas ao desenvolvimento das pessoas dentro e fora das organizações, assim como de estímulo ao pensamento criativo e identificação de novos talentos. Em sua terceira edição no Estado do Maranhão no ano de 2017, as categorias dão destaque a temas de maior relevância para o desenvolvimento de nossa sociedade e a competitividade do país.

O PRÊMIO SER HUMANO CONTEMPLA AS SEGUINTES MODALIDADES:

  • MODALIDADE GESTÃO DE PESSOAS – ACADÊMICA
    modalidade que premia trabalhos de caráter técnico ou científico referentes à gestão de pessoas. Podem concorrer trabalhos de conclusão de curso, projetos de pesquisa, dissertações ou teses de alunos de instituições de ensino superior, tanto de graduação como de pós-graduação.
  • MODALIDADE GESTÃO DE PESSOAS – SUSTENTABILIDADE
    Para a ABRH o conceito de Sustentabilidade Corporativa compreende uma visão de negócios de longo prazo que incorpora as dimensões social e ambiental à dimensão econômica de negócios, formando o “triple bottom line”. É um conjunto de ações que uma organização toma visando ao respeito ao meio ambiente e ao desenvolvimento sustentável da sociedade. Para tanto nesta modalidade os trabalhos devem constituir real contribuição à sustentabilidade, podem contemplar os conceitos e práticas em que a organização, com a liderança ou participação ativa de RH.
  • MODALIDADE GESTÃO DE PESSOAS – ADMINISTRAÇÃO
    Os trabalhos devem constituir real contribuição à melhoria da infraestrutura, qualidade e eficiência dos serviços de RH, podem contemplar os conceitos e práticas de: Desenho organizacional, trabalho a distância e horário flexível, Instalações da empresa e leiaute dos ambientes de trabalho, Os sistemas de gestão, Sistemas de comunicação interna, Transporte de colaboradores, Relacionamento sindical e gestão do passivo trabalhista,Saúde, Avaliação dos Serviços.
  • MODALIDADE GESTÃO DE PESSOAS – DESENVOLVIMENTO
    Os trabalhos devem constituir real contribuição à melhoria do desenvolvimento de pessoas e organizações, podem contemplar os conceitos e práticas de: Cultura Organizacional, Gestão de mudanças, Atratividade e integração de talentos, Educação corporativa, Liderança, Remuneração, Gestão do desempenho e de talentos, Comunicação, mobilização e reconhecimento, Carreiras.

Vamos conhecer a seguir os premiados do Prêmio Ser Humano 2017:

  • NA MODALIDADE GESTÃO DE PESSOAS – ACADÊMICA

Em segundo lugar o trabalho de Andreia Lima Dos Santos: “SISTEMA DE SELEÇÃO POR GESTÃO DE COMPETÊNCIA BASEADO EM MÉTRICAS E ANÁLISE GRÁFICA PROPOSTO PARA STARTUP INFORTASK”

Andreia Lima tem 22 anos e é consultora de Vendas em SPIN Selling na Workeduc, graduanda em Administração pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Pesquisadora no grupo de Estudos em Planejamento e Gestão de Pessoas (GEP²) – Cnpq. Professora em cursos profissionalizantes na 11 Elo Cursos técnicos e profissionalizantes. Participante por 2 anos em trabalho voluntário e entusiasta pelo compartilhamento do saber e protagonismo.

SINOPSE DO TRABALHO: Gestão por competência é tendência hoje em razão do ritmo frenético de mudanças. Os novos atributos como rapidez, flexibilidade e horizontalidade fazem das organizações local de aprendizado contínuo. Assim, despertou-se interesse em criar um sistema de seleção com abordagem benéfica para empresa. Oportunizando a tomada de decisão mais confiável na seleção, através de uma metodologia de avaliação quali-quantitativa e análise gráfica de gaps de competências de candidatos, a partir de um ranking. Como startup é um espaço de grande inovação, buscou se implantar neste âmbito, pois conhecimento, habilidade, atitude e as métricas são valorizados. Assim, desenvolveu-se a missão, visão e valores e a escolha do melhor candidato do comercial.

Em primeiro lugar na Modalidade Acadêmica o trabalho de NICOLE MEIRELES: “PROFISSIONAIS DA INDÚSTRIA CRIATIVA: o desenvolvimento das carreiras artísticas em São Luís – MA”

Nicole Meireles Guimarães tem 23 anos, é Administradora formada pela UFMA e Atriz profissional.  Produtora cultural da empresa Bumba Cultura e Pesquisadora focada na Indústria Criativa. Foi diretora de gestão de talentos da Estratégica Empresa Júnior de Administração da UFMA, na gestão de 2015/ 2016. Foi chefe de gabinete do PROCON MA em 2016.  Mediou roda de conversa com título “Arte como produção de si: da experiência à profissionalização dos produtores locais” na 12ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes – 2017

SINOPSE DO TRABALHO: A carreira é como uma construção social, inscrita tanto no âmbito individual, grupal como societal e organizativo mais amplos. Dentre a literatura sobre carreira, estudos têm sido desenvolvidos para entender melhor as fronteiras, ou balizas, das carreiras nas indústrias criativas. No entanto, esses estudos ainda são escassos e quase inexistentes quando buscado em São Luís do Maranhão. O trabalho premiado visa contribuir para o entendimento de como se desenvolvem as carreiras da indústria criativa ludovicense. Para tanto, foi realizado um teste-piloto, a partir de 7 entrevistas semi-estruturadas, com artistas e profissionais atuantes nas indústrias criativas. Os setores abrangidos incluem arte multimídia, dança, arte visual, literatura, música, teatro, vídeo. Os resultados dessas entrevistas possibilitaram a criação de um questionário, que foi aplicado a uma amostra igual a 107 respondentes, das áreas de música, dança, teatro, artes visuais, vídeo, software e arte multimídia, garantindo a descoberta de tendências sobre questionamentos acerca do desenvolvimento das carreiras artísticas em São Luís do Maranhão. Os resultados apontam no sentido de que as carreiras são construídas num ambiente em que atuam forças contraditórias, originárias dos laços entre cultura e economia.

 

  • NA MODALIDADE GESTÃO DE PESSOAS – SUSTENTABILIDADE

Em terceiro lugar o trabalho da VALE sob o título de PROJETO PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO representado por Giselly Pinto, Supervisora Parque Botânico São Luís.

 

SINOPSE DO TRABALHO: Os recursos naturais estão cada vez mais escassos e é papel de cada indivíduo contribuir para o cuidado com o planeta e a sustentabilidade dos negócios junto à comunidade para que os resultados sejam alcançados. Dessa forma, as empresas também precisam agir em união com a comunidade. Portanto, este projeto visa fazer ações sustentáveis que aproxime a organização da comunidade, bem como promover o desenvolvimento da mesma a curto, médio e longo prazo.

Implantar um projeto que aproxime a Vale das comunidades vizinhas, ouvir o que a comunidade deseja, criando uma parceria para o melhor uso do Parque Botânico, um espaço que é de todos, pois entende-se que a efetiva participação de moradores da região Itaqui-Bacanga pode contribuir para melhorar a gestão das ações do Parque. São definidas ações com representantes da comunidade para que as mesmas aconteçam no ano seguinte, com ações durante todo o ano. Em 2016, por exemplo foram 15 ações executadas.

Em segundo lugar o trabalho da VALE sob o título de Projeto CoopVila: diálogo e parceria pela sustentabilidade representado por Deborah Ferreira, Analista de Relações com a Comunidade.

 

SINOPSE DO TRABALHO: A Cooperativa de Trabalho, Coleta e Recuperação de Resíduos da Vila Maranhão (CoopVila) é fruto de um projeto desenvolvido pela Vale com moradores da Vila Maranhão, vizinhos a suas operações, em São Luís(MA). Iniciou em 2013, após identificar atuação clandestina de catadores de madeira descartada pela Vale. Surgiu como solução sustentável após diagnóstico participativo, que identificou um grupo socialmente vulnerável, mas com potencial para empreender. Assim, 15 catadores se organizaram em cooperativa para coletar, reaproveitar e vender os resíduos de madeira e metal.

A Vale tem investido no desenvolvimento da CoopVila com formação de pessoas e assessoramento em gestão, produção, vendas e inovação, em parceria com o SEBRAE, com foco em: segregação de resíduos, produção de móveis e de carvão ecológico. Para potencializar a ação, a Vale investe na formação da equipe de Relações com Comunidade para diálogo e gestão do projeto, bem como incentiva o engajamento de empregados das áreas operacionais.

Atualmente, a CoopVila é a principal fonte de renda dos 15 cooperados, beneficiando diretamente 53 pessoas e contribuindo com o desenvolvimento sustentável do território, a partir da adequada destinação de resíduos sólidos de empresas da área industrial de São Luís. 

Em primeiro lugar o trabalho da VALE sob o título de Programa AGIR EFC: consolidando a Rede Mulheres do Maranhão representado por Marcus Finco, Analista de Negócios Sociais da Fundação Vale.

SINOPSE DO TRABALHO: O Programa AGIR EFC (Apoio à Geração e Incremento de Renda na Estrada de Ferro Carajás) é um programa estruturante da área de geração de renda da Fundação Vale e que busca, sobretudo, a transformação positiva e a melhoria da qualidade de vida das pessoas envolvidas através de ações que envolvem a mobilização e sensibilização da comunidade, formalização dos grupos produtivos, acompanhamento e assessoramento técnico, acesso a mercados e alavancagem da comercialização e sustentabilidade dos negócios sociais apoiados. O Programa abrange empreendimentos sociais ao longo da EFC e apoia, principalmente, as mulheres empreendedoras que vendiam seus produtos, de forma informal e insalubre, nos trilhos do trem ao longo da ferrovia, as chamadas “bandequeiras”. Como resultados alcançados, o AGIR EFC já deu origem a Rede Mulheres do Maranhão, a qual promove encontros entre as mais de 170 empreendedoras envolvidas, buscando a troca de experiências, a discussão de problemas e soluções, a aquisição conjunta de insumos/matéria-prima e o acesso a mercados complexos, dentre outros. Neste sentido, o AGIR EFC, através da Rede Mulheres do Maranhão, busca garantir a autonomia, a independência e o empoderamento econômico feminino, gerando postos de trabalho local, fortalecendo a cadeia produtiva da região, incrementando a renda das famílias envolvidas no Programa e, consequentemente, gerando transformações positivas e melhoria na qualidade de vida das comunidades.

 

  • NA MODALIDADE GESTÃO DE PESSOAS – ADMINISTRAÇÃO

Em segundo lugar o trabalho do SEBRAE- MA sob o título de “Programa Qualidade de Vida Viva +” representado por Rachel Miranda Jordão da Silva, Diretora de Administração e Finanças.

 

SINOPSE DO TRABALHO: O Programa VIVA + é direcionado aos colaboradores do SEBRAE/MA, trata-se de um conceito amplo que inclui a saúde física dos indivíduos, o seu estado psicológico, crenças pessoais, relações sociais e ambientais. (OMS). A qualidade de vida no trabalho está ligada à motivação dos funcionários, para isso é necessário criar um ambiente onde as pessoas possam se sentir bem com a gerência, com elas mesmas e entre seus colegas de trabalho, e estar confiantes na satisfação das próprias necessidades, ao mesmo tempo em que cooperam com o grupo. O Programa é desenvolvido em todas Unidades do Sebrae/Ma, envolvendo

colaboradores, estagiários e terceirizados. Anualmente realiza-se o mapeamento de saúde visando identificar os principais grupos de risco que servirá como norteador para as ações realizadas no decorrer do exercício.

 

Em primeiro lugar o trabalho da VALE sob o título de Meu Canto – Implantação de Ambiente Colaborativo Utilizando Design Thinking, representado por Gabriela Castro Supervisora Operação Portuária.

SINOPSE DO TRABALHO: O ambiente colaborativo de trabalho “Meu Canto” tem como motivador o desafio de oferecer um espaço que estimule a integração de empregados e a construção de propostas inovadoras em equipe. A iniciativa consiste em, a partir de um trabalho de escuta com o público interno para alinhamento de expectativas, estruturar espaço interno com elementos que favoreçam a produtividade e o engajamento. Para implementação foi utilizada a abordagem do design thinking na captura de propostas, e as premissas de coworking tanto para a operacionalização do projeto quanto para a funcionalidade quando já implementado.

O trabalho foi implantado em uma das áreas de suporte às equipes de empregados que trabalham no Terminal Marítimo de Ponta da Madeira da Vale em São Luís-MA, que possui cerca de 1.900 empregados próprios e 550 terceiros, com funções diversas associadas ao descarregamento dos vagões de minério que chegam pela Estrada de Ferro Carajás, além da estocagem e embarque desse material.

Os principais resultados obtidos, foram a satisfação dos empregados com o novo espaço, relatando avanços na integração das equipes e motivação para o trabalho, além da replicação em outras áreas dentro da companhia.

 

  • NA MODALIDADE GESTÃO DE PESSOAS – DESENVOLVIMENTO

Em terceiro lugar o trabalho da VALE sob o título de Semana de Energia 2016 representado por Cassio Borges, Gestor da Gerência de Energia Porto.

SINOPSE DO TRABALHO: A Semana de Energia foi um evento de capacitação voltado aos eletricistas do Porto Norte – Vale – São Luís /MA, idealizado após diagnóstico de necessidade de qualificação técnica. Idealizada por um comitê interdisciplinar composto pelas áreas de Recursos Humanos, Comunicação e Gerência de Energia do Porto Norte – Vale o evento aconteceu em novembro de 2016 contemplando 43 palestras, 05 minicursos, uma feira de energia com 08 stands simultâneos, ações de conscientização e 03 visitas técnicas de alunos de instituições parceiras. Tudo realizado através da mobilização de funcionários e 28 parceiros, garantindo mais de 1.500 participações, entre funcionários diretos, terceiros e alunos visitantes.

A inciativa, inicialmente para capacitação de eletricistas da empresa, obteve efeito colateral positivo: o engajamento dos funcionários da gerência de Energia. Obtivemos 13 funcionários capacitados como instrutores, os “Educadores para Valer”, e um retorno superior a 92% na pesquisa global de engajamento Vale.

Os resultados diretos também foram significativos: nota de satisfação geral do evento de 4,44 em uma escala de 0 a 5 na análise de reação interna e a não existência de acidentes pessoais com eletricistas após a Semana de Energia, que tivessem a falta de conhecimento como causador do incidente. A próxima edição da Semana de Energia do Porto Norte aconteceu nos dias 14 a 18 de agosto de 2017.

Em segundo lugar o trabalho do Grupo Mateus sob o título de “EDUCAÇÃO CORPORATIVA: Universidade de Líderes Mateus” representado por Railma Lima da Costa, Gerente Executiva de Recursos Humanos.

SINOPSE DO TRABALHO: A criação da Universidade de Líderes Mateus foi a culminância de várias mudanças que ocorreram, num contexto em que o Grupo crescia de maneira vertiginosa e em que havia uma necessidade urgente de novos líderes. Atrelou-se a isso o interesse de se manter a política de que os cargos gerenciais fossem assumidos por colaboradores da base e a estratégia mais sólida era aprimorar e acelerar o processo de desenvolvimento e de treinamento internos.

A partir disso, iniciou-se um período de aprendizado e de inúmeras tentativas, que envolveram a busca de processos diferentes, que pudessem alcançar as novas perspectivas do negócio, com outro estilo de acompanhamento e de controle de resultados.

Atualmente, a parte teórica do programa ocorre no Centro Administrativo da empresa e durante determinadas semanas, ocorrem os treinamentos nas lojas. O ingresso na Universidade pode ocorrer por inscrição (feita pelo próprio colaborador) ou por indicação (feita pelos supervisores e gerentes). Os colaboradores que podem participar do processo seletivo, independente da forma de ingresso, são aqueles que desejam ser líderes dos mesmos setores em que já atuam, sendo abertas raras exceções.

Durante o período de 7 meses, a ULMA treina cerca de 90 colaboradores que objetivam ocupar cargos de liderança, sendo efetuado o investimento de, em média, R$ 2.169.653,21 (dois milhões e cento e setenta mil reais). A abrangência da universidade tem aumentado gradativamente e, a cada ano, pode-se ver um processo mais maduro, sólido e sempre aberto à inovação e ao crescimento; o que tem permitido cada vez mais adequação entre o que o programa oferece e a real necessidade da empresa.

 

Em primeiro lugar o trabalho da ELO CONTACT CENTER sob o título de “PROJETO “ELO DE MÃE” representado por Frederico Cezar Melo, Diretor de RH.

 

SINOPSE DO TRABALHO: O projeto “Elo de Mãe” surgiu a partir da identificação de problemáticas relacionadas ao grupo de mulheres grávidas da Elo Contact Center .Trata-se de um projeto que realiza o acompanhamento periódico dessas colaboradoras, fornecendo o suporte necessário e, por consequência, contribuindo para o aumento da motivação no trabalho. As informações coletadas durante os encontros do “Elo de Mãe” propiciaram a compreensão dos principais fatores que comprometem a adaptação da mulher grávida na equipe de trabalho, possibilitando intervenções a fim de tornar o ambiente mais acolhedor e contribuir para o aumento de sua produtividade. Os resultados evidenciaram melhora no clima organizacional dentro da equipe, evolução nos indicadores operacionais da grávida e melhora na sua relação com o Supervisor imediato.

 

 

Parceiros de Gestão